Pack Roms Set

Sony PlayStation: A Revolução dos Jogos em 3D

Descubra a História e Impacto do Primeiro Console da Sony no Mundo dos Games

No início dos anos 90, o mundo dos videogames testemunhou a chegada de um verdadeiro colosso que mudaria para sempre a paisagem do entretenimento eletrônico: o PlayStation. Conhecido também como PSX, PSOne, ou simplesmente PS1, este console não foi apenas um produto de sucesso; ele foi uma revolução cultural. Desenvolvido pela Sony Computer Entertainment, o PlayStation foi oficialmente lançado em dezembro de 1994 no Japão e, subsequentemente, no resto do mundo em 1995. Ele não só trouxe gráficos em 3D ao alcance das massas, como também introduziu uma nova era de jogos com histórias complexas e jogabilidade envolvente, marcando o início da transição dos videogames de um nicho infantojuvenil para uma forma de entretenimento global abrangente.

Reviva a era dourada dos videogames: um PlayStation original cercado por jogos icônicos que definiram uma geração.
Reviva a era dourada dos videogames: um PlayStation original cercado por jogos icônicos que definiram uma geração.
  • Tipo: Console 5ª Geração (Era 32bit/3D)
  • Nome: PlayStation
  • Abreviação: psx
  • Lançamento: 1994
  • Descontinuado: 2006
  • Fabricante: SONY
  • Mídia: CD-ROM

Sobre / História do PlayStation

A trajetória do PlayStation começa muito antes do seu lançamento. A ideia inicial surgiu de uma colaboração fracassada entre a Sony e a Nintendo. A parceria originalmente pretendia desenvolver um novo add-on que seria chamado de “Play Station” e destinava-se a ser um complemento para o Super Nintendo que rodaria tanto cartuchos quanto um novo formato de mídia: o CD-ROM. Esta tecnologia prometia expandir drasticamente as possibilidades dos jogos, oferecendo maior capacidade de armazenamento para gráficos e áudio melhorados. No entanto, diferenças sobre licenciamento e controle de software causaram o rompimento dessa parceria, levando a Sony a seguir seu próprio caminho no desenvolvimento de um console independente.

O que começou como um projeto derivado transformou-se em uma missão da Sony para conquistar o mundo dos games. O desenvolvimento do PlayStation foi marcado por desafios técnicos e a necessidade de convencer desenvolvedores terceiros a embarcar no projeto. A Sony ofereceu kits de desenvolvimento de baixo custo e condições favoráveis de licenciamento, uma estratégia que atraiu muitos desenvolvedores que, até então, trabalhavam principalmente com a Nintendo e a Sega.

Os resultados foram impressionantes. O PlayStation rapidamente superou seus concorrentes diretos, como o Sega Saturn e o Nintendo 64, principalmente devido à sua vasta biblioteca de jogos e ao apoio maciço de desenvolvedores terceiros. Jogos icônicos como Final Fantasy VII, Metal Gear Solid, Resident Evil e muitos outros não só definiram a geração como também ajudaram a moldar o futuro dos videogames como um meio narrativo.

Além disso, o PSOne, uma versão mais compacta e econômica do console lançada em 2000, serviu para solidificar ainda mais a presença do PlayStation no mercado. Até o final de sua produção, em 2006, o PlayStation original havia vendido mais de 100 milhões de unidades em todo o mundo, não apenas garantindo um legado duradouro, mas também estabelecendo a Sony como uma força dominante na indústria de videogames, pavimentando o caminho para futuras gerações de consoles PlayStation.

Esse console não apenas revolucionou a tecnologia de jogos com o uso extensivo de CDs, como também introduziu o uso de efeitos gráficos complexos como renderização 3D e texturização mapeada. O PlayStation foi mais do que uma plataforma para jogos; foi um catalisador para a evolução da cultura pop durante os anos 90. Com sua tecnologia inovadora e jogos que capturaram a imaginação de jovens e adultos, o PlayStation marcou o início de uma nova era no entretenimento digital, transformando-se num verdadeiro símbolo cultural daquela década.

Modelos e Lançamentos do PlayStation

O PlayStation original passou por diversas revisões de design durante seu ciclo de vida, culminando em dois modelos principais que se destacaram no mercado:

playstation psxplaystation psx slim
  • PlayStation Original (1994) – Este é o modelo que iniciou tudo. Com seu design distinto caracterizado por linhas retas e um corpo robusto, este console era imponente e promissor. Equipado com um leitor de CD que era novidade para muitos usuários na época, o PlayStation original também incluía portas para dois controles e uma saída para cartões de memória, essenciais para salvar o progresso dos jogos. O design do hardware foi pensado não apenas para funcionalidade mas também para fazer uma declaração visual forte, destacando-se dos seus contemporâneos mais coloridos e voltados para o público infantil.
  • PlayStation Slim (2000) – Lançado seis anos após o original, o PSOne foi uma resposta direta à necessidade de um design mais compacto e moderno. Este modelo era significativamente menor e mais leve, com uma estética mais arredondada e amigável, ideal para um público que agora incluía famílias e jogadores de todas as idades. O PSOne não apenas revitalizou as vendas do PlayStation como também coincidiu com o lançamento de uma tela LCD portátil que se acoplava diretamente ao console, promovendo uma nova forma de jogabilidade móvel. Este modelo foi particularmente popular por ser mais acessível e fácil de integrar em espaços menores, tornando-se uma escolha favorita para jogadores que valorizavam a conveniência.
playstation tela lcdpsclassic
  • PS One “Combo Pack” com Anexo de Tela LCD de 5 Polegadas (2000) – Lançado simultaneamente ao PSOne, este “combo pack” incluiu uma inovação significativa: uma tela LCD de 5 polegadas que podia ser acoplada diretamente ao console. Esta adição transformou o PSOne em uma unidade portátil, permitindo aos jogadores a liberdade de jogar seus títulos favoritos sem a necessidade de uma TV. Esse modelo foi particularmente atraente para famílias em viagens e jogadores que desejavam uma solução de jogo mais flexível e móvel. A qualidade da imagem na tela LCD era surpreendentemente boa para a época, oferecendo uma nova maneira de experienciar jogos clássicos.
  • PlayStation Classic (2018) – Muito depois do fim da produção do PlayStation original, a Sony decidiu homenagear seu legado com o lançamento do PlayStation Classic, uma miniatura do console original que veio pré-carregada com 20 jogos clássicos. Este modelo replicou o design icônico do PlayStation original, mas em um formato muito menor, adaptando-se à tendência de consoles retro. Incluído jogos como Final Fantasy VII, Tekken 3, e Wild Arms, o PlayStation Classic foi destinado a nostálgicos e novos jogadores curiosos para experimentar a história dos videogames. Além de seu apelo nostálgico, este modelo era plug-and-play, oferecendo uma maneira simples e acessível de revisitar alguns dos maiores sucessos do console.

Ambos os modelos foram fundamentais para o sucesso e a longevidade do PlayStation no mercado competitivo dos videogames. O modelo original estabeleceu o PlayStation como um sério competidor no início da guerra dos consoles, enquanto o PSOne ajudou a solidificar sua posição como líder de mercado, adaptando-se às mudanças nas preferências dos consumidores e às novas tendências de design.

Controles do PlayStation: Inovação e Evolução

Ao longo de sua história, o PlayStation não apenas inovou no design de seus consoles, mas também nos controles que oferecia aos jogadores. A seguir, vamos explorar os quatro principais modelos de controles lançados para o PlayStation, cada um representando um passo à frente na experiência de jogo:

psx controle original
  • Controlador Original do PlayStation – Lançado junto com o console em 1994, este controle definiu o padrão para os futuros controladores da Sony. Com um design simples mas eficaz, incluía um direcional em forma de cruz, quatro botões de ações coloridos e dois botões de ombro. A falta de alavancas analógicas mantinha o foco na simplicidade e precisão, adequado para a maioria dos jogos da época.
controle analogico
  • PlayStation Analog Joystick – Este controle foi uma resposta da Sony à demanda por uma experiência mais imersiva em jogos de simulação de voo e outros gêneros que beneficiavam de controles analógicos. Lançado em 1996, o Analog Joystick era grande, com duas alavancas analógicas proeminentes e botões adicionais, incluindo gatilhos, oferecendo uma maior precisão de movimento e uma experiência mais rica em jogos compatíveis.
controle analogico 2
  • Dual Analog – Introduzido em 1997, este foi o precursor direto do muito aclamado DualShock. Incorporando duas alavancas analógicas que permitiam uma gama mais ampla de movimento, o Dual Analog representou um grande avanço em relação ao controle original. Este modelo também introduziu uma forma mais ergonômica, melhorando significativamente o conforto durante longas sessões de jogo.
controle dual shock
  • DualShock – Lançado no final de 1997 no Japão e em 1998 no resto do mundo, o DualShock tornou-se rapidamente o padrão de ouro para controladores de videogame. Além de manter as duas alavancas analógicas do Dual Analog, introduziu a funcionalidade de feedback de vibração, que adicionava uma dimensão física à experiência de jogo, reagindo aos eventos do jogo com tremores sensíveis. Este controle também melhorou os botões de ombro e ajustou a disposição dos botões para uma utilização mais intuitiva.

Cada um desses controles foi um marco em sua época, demonstrando o compromisso da Sony em evoluir a interação dos jogadores com seus jogos. Desde o modelo mais básico até o revolucionário DualShock, a evolução dos controles do PlayStation reflete a própria evolução dos videogames, de simples diversão a complexas experiências imersivas.

Periféricos do PlayStation: Expansão da Experiência de Jogo

Além dos inovadores controles, o PlayStation também foi acompanhado por uma variedade de periféricos que expandiram significativamente as possibilidades de jogo e interatividade. Vamos explorar alguns dos mais notáveis:

memory card
  • PlayStation Memory Card – Uma necessidade para qualquer jogador que quisesse salvar seu progresso, o Memory Card para PlayStation era uma pequena unidade de armazenamento que se encaixava perfeitamente na parte frontal do console. Cada cartão oferecia 1 MB de espaço, o que, embora pareça pouco hoje, era suficiente para salvar dezenas de jogos, transformando-o num componente essencial para os jogadores.
pocket station
  • PocketStation – Lançado apenas no Japão, este pequeno dispositivo funcionava como um cartão de memória e uma unidade de jogo portátil. Com uma pequena tela LCD, botões e até mesmo capacidade de comunicação infravermelha, o PocketStation permitia aos jogadores interagir com jogos específicos do PlayStation de maneiras únicas, além de jogar mini-jogos transferidos de seus títulos favoritos.
multiplayer
  • PlayStation Multitap – Esse acessório era uma solução simples mas eficaz para um problema comum: mais amigos querendo jogar juntos do que portas de controle disponíveis. O Multitap se conectava a uma das portas do controlador do PlayStation e expandia o número de portas disponíveis, permitindo que até quatro jogadores desfrutassem de jogos juntos.
mouse
  • PlayStation Mouse – Para jogos que beneficiavam de uma precisão mais fina do que a oferecida pelos controles tradicionais, o PlayStation Mouse era a resposta. Especialmente útil em jogos de estratégia e aventura, o mouse oferecia uma maneira diferente de jogar, mais familiar para os usuários de PCs.
cabo link
  • Link Cables – Antes do advento do jogo online, os Link Cables permitiam a jogadores com consoles PlayStation conectar seus sistemas diretamente um ao outro para jogos multiplayer face a face. Este acessório era particularmente popular para jogos de corrida e combate, onde a competição direta era um grande atrativo.
pistola
  • GunCon – Um controlador em forma de pistola, o GunCon era utilizado em jogos de tiro em primeira pessoa e títulos de arcade de tiro ao alvo. Com sensores que detectavam a posição da arma em relação à tela da TV, o GunCon oferecia uma experiência de jogo imersiva e direta, especialmente em jogos como Time Crisis, onde precisão e tempo de resposta eram cruciais.

Cada um desses periféricos não apenas complementava o PlayStation em termos de funcionalidade, mas também em termos de proporcionar uma experiência de jogo mais rica e diversificada. De simples acessórios de armazenamento a complexos dispositivos de entrada, a linha de periféricos do PlayStation ajudou a moldar o jeito que os jogos eram jogados e apreciados.

Jogos Populares do PlayStation

O PlayStation é conhecido por ter uma das bibliotecas de jogos mais icônicas da história dos videogames. Cada título não apenas demonstrou o potencial técnico do console, mas também criou mundos e histórias que capturaram a imaginação de uma geração. Vamos explorar mais a fundo alguns desses jogos que definiram o console:

sswor 14sswor 1 5
  • Final Fantasy VII: Lançado em 1997, este título da Square Enix não só revolucionou os RPGs com sua história envolvente e personagens memoráveis, mas também com seus gráficos inovadores para a época, incluindo cinemáticas em CG que estabeleceram um novo padrão para o gênero. A trama segue Cloud Strife e a organização ecoterrorista AVALANCHE em sua luta contra a corporação Shinra e o vilão Sephiroth, explorando temas de amor, traição e redenção.
  • Metal Gear Solid: Criado por Hideo Kojima e lançado em 1998, este jogo não só popularizou o gênero de stealth, mas também foi pioneiro no uso de narrativa cinematográfica em videogames. Os jogadores controlam Solid Snake, um soldado que deve infiltrar-se em uma instalação nuclear para neutralizar uma ameaça terrorista, descobrindo conspirações e enfrentando desafios que testam tanto sua astúcia quanto habilidades furtivas.
sswor 2 5sswor 3 5
  • Resident Evil: Desenvolvido pela Capcom e lançado em 1996, este jogo não apenas criou o gênero “survival horror”, mas também introduziu os jogadores a um mundo cheio de zumbis e mistérios. Com um enredo que envolve experimentos biológicos e corporações malignas, oferece uma atmosfera densa e aterrorizante, onde cada munição conta e qualquer esquina pode esconder um novo terror.
  • Tekken 3: Este título de 1997 elevou o patamar dos jogos de luta com sua mecânica fluida e ampla seleção de personagens, cada um com seu próprio estilo de luta e história de fundo. Além de um robusto modo de jogo para um jogador, oferece uma experiência multiplayer vibrante e competitiva, consolidando-se como um dos melhores jogos de luta de sua época.
sswor 4 5sswor 5 4
  • Crash Bandicoot: Lançado em 1996, este jogo de plataforma foi uma resposta da Sony ao domínio de Mario e Sonic. Desenvolvido pela Naughty Dog, apresenta um marsupial aventureiro que deve frustrar os planos do vilão Dr. Neo Cortex. O jogo é famoso por sua jogabilidade desafiadora e níveis bem projetados que combinam ação, habilidade e exploração.
  • Gran Turismo: Lançado em 1997, este simulador de corrida da Polyphony Digital destacou-se pelo seu realismo técnico e vasta seleção de carros e pistas licenciadas. O jogo não apenas proporcionou uma simulação detalhada da física de corrida, mas também incluiu um modo carreira abrangente que permitia aos jogadores comprar, personalizar e competir com uma variedade de veículos.
sswor 6 4sswor 7 4
  • Spyro the Dragon: Introduzido em 1998, este jogo de plataforma foca em um jovem dragão roxo em sua missão para salvar seus amigos e restaurar a paz no Reino dos Dragões. Com uma jogabilidade envolvente e mundos vibrantes, Spyro ofereceu uma experiência menos desafiadora mas igualmente gratificante, ideal para jogadores de todas as idades.
  • Tomb Raider: Este jogo de 1996 apresentou ao mundo Lara Croft, uma arqueóloga aventureira em busca de tesouros antigos. Combinando exploração, enigmas e ação, estabeleceu um novo padrão para jogos de aventura e tornou-se um ícone cultural.
ssjp 1sswor 8 4
  • Silent Hill: Lançado em 1999, este jogo levou o terror psicológico a novos níveis com sua atmosfera opressiva e narrativa complexa. A busca do protagonista por sua filha em uma cidade misteriosa e cheia de criaturas horripilantes oferece uma experiência inesquecível.
  • Castlevania: Symphony of the Night: Este título de 1997 misturou elementos de RPG com a clássica ação de plataforma da série Castlevania. O jogador explora um vasto castelo cheio de inimigos e mistérios, com uma liberdade de exploração que foi uma novidade para a série.

Cada um desses jogos não apenas ajudou a definir o PlayStation como uma plataforma líder, mas também influenciou o desenvolvimento de videogames nas décadas seguintes, cada um deixando seu próprio legado único.

Informações Técnicas PlayStation PSX

As informações a seguir foram baseadas e adaptadas das informações do Wiki Batocera e podem ser aplicáveis também a sistemas como Retrobat, Recalbox e outros que utilizem Emulation Station.

logo playstation

Resumo Técnico do Sony PlayStation

O PlayStation, frequentemente abreviado como PS1, PSOne ou pelo seu codinome PSX (não confundir com o console PSX posterior), é um console de quinta geração lançado pela Sony Computer Entertainment. Sua estreia ocorreu no Japão em 3 de dezembro de 1994 e nos Estados Unidos em 9 de setembro de 1995, com um preço inicial de $299,99. O console é equipado com um CPU R3000, que operava a uma frequência de 33.8688 MHz. Este CPU é notável por sua confiabilidade, tanto que foi utilizado pela NASA em uma missão para capturar imagens de Marte.

Em termos de memória, o PlayStation dispunha de 2MB de RAM e 1MB de VRAM, suportando um desempenho gráfico robusto para a época. Um dos seus componentes mais inovadores era a unidade de compressão de vídeo MDEC, integrada ao CPU, que permitia a reprodução de vídeos em movimento completo com uma qualidade superior à de outros consoles da mesma geração. Além disso, o PlayStation se destacava por ter um conversor digital-analógico superior ao de muitos leitores de CD da época.

O sucesso comercial do PlayStation pode ser atribuído em parte à estratégia da Sony de incentivar desenvolvedores terceiros com kits de desenvolvimento acessíveis, e ao fato de ser relativamente fácil de programar em comparação com outros consoles da época. Além disso, o uso de mídia baseada em CD era mais barato do que as opções de cartucho da concorrência.

Embora a maioria dos jogos do PlayStation rodasse em uma resolução próxima a 240p, alguns títulos eram capazes de operar em 480i, oferecendo uma qualidade de imagem melhorada.

Referência Rápida

  • Pasta: roms/psx/
  • BIOS necessária? Opcional, mas alguns jogos requerem.
  • Emuladores e Formatos de ROM Aceitos:
    • DuckStation: .cue, .img, .mdf, .pbp, .toc, .cbn, .m3u, .ccd, .chd, .iso
    • PCSX ReARMed: .bin, .cue, .img, .mdf, .pbp, .toc, .cbn, .m3u, .ccd, .chd
    • SwanStation: .cue, .img, .mdf, .pbp, .toc, .cbn, .m3u, .ccd, .chd, .iso
    • Mednafen_PSX: .cue, .pbp, .toc, .m3u, .ccd, .chd

BIOS

Os arquivos BIOS não são estritamente necessários para a emulação, mas podem melhorar significativamente a compatibilidade e a precisão. Uma alternativa aos primeiros três arquivos BIOS mencionados é usar o PSXONPSP660.bin, que é extraído de um PSP, livre de região e às vezes oferece melhor desempenho.

ROMs

As ROMs do PlayStation geralmente estão no formato .cue/.bin. As fichas .cue contêm metadados sobre a localização física das ‘faixas de dados’ no disco, e os arquivos .bin são os dados reais. Os arquivos .cue e .bin devem estar no mesmo diretório e manter o mesmo nome de arquivo para funcionar juntos.

O formato .pbp, desenvolvido pela Sony, armazena jogos do PlayStation em um formato comprimido para conteúdo descarregável do PS1 no PSP. Há ferramentas para converter para e deste formato, embora seu uso possa causar problemas com certos jogos.

Os arquivos .chd são uma forma comprimida que combina os arquivos .cue e .bin, sendo este o formato recomendado.

Jogos PAL com Proteção de Cópia

Jogos PAL com proteção contra cópia necessitam de um arquivo SBI subchannel junto aos arquivos .bin, .cue ou .chd para ultrapassar a proteção de cópia. Por exemplo, se você tiver um jogo protegido como segue:

  • Game (Europe).bin
  • Game (Europe).cue
  • Game (Europe).sbi

Para compatibilidade adequada com jogos PAL, o emulador DuckStation deve ser configurado para exibir a animação da BIOS, enquanto o PCSX-ReARMED deve ser configurado para pular a animação da BIOS (a menos que se esteja usando uma BIOS real). O mesmo se aplica ao Mednafen, que também deve ter a animação da BIOS desativada, a menos que uma BIOS real seja utilizada.

Jogos Multi-disco

Para carregar automaticamente o próximo disco de um jogo, você pode usar um arquivo de playlist .m3u. Para criar um, basta fazer um arquivo de texto com o mesmo nome do jogo desejado. Dentro deste arquivo de texto, escreva os nomes dos arquivos .cue ou .chd dos discos do jogo. Por exemplo, se a estrutura dos arquivos .cue do seu jogo for como a de Final Fantasy VII, organizada da seguinte forma:

roms/
└─ psx/
├─ Final Fantasy VII (Disc 1).cue
├─ Final Fantasy VII (Disc 1).bin
├─ Final Fantasy VII (Disc 2).cue
├─ Final Fantasy VII (Disc 2).bin
├─ Final Fantasy VII (Disc 3).cue
└─ Final Fantasy VII (Disc 3).bin

Você deve colocar o seguinte texto no arquivo Final Fantasy VII.m3u:

Final Fantasy VII.m3u
Final Fantasy VII (Disc 1).cue
Final Fantasy VII (Disc 2).cue
Final Fantasy VII (Disc 3).cue

Salve o arquivo de texto com a extensão .m3u e coloque-o na pasta roms/psx/ junto com os discos do jogo. Quando você chegar ao fim de um disco, o próximo será automaticamente carregado. Se isso falhar, você pode utilizar o menu ‘Disc Control’ do RetroArch no Quick Menu (comando [HOTKEY] + botão Sul (B do SNES) durante o jogo) para ejetar um disco e inserir outro. Este método é recomendado para evitar o uso da função “Swap Disc”, que é destinada a propósitos legados.

Emuladores e Configurações do DuckStation

O DuckStation é um emulador focado em jogabilidade, velocidade e manutenção a longo prazo. O objetivo é alcançar a maior precisão possível, mantendo o desempenho em uma ampla gama de dispositivos. Opções de “hack” são desencorajadas, e a configuração padrão deve suportar todos os jogos jogáveis, com apenas algumas das melhorias apresentando problemas de compatibilidade. CPUs de 64 bits são necessárias para suporte ao recompilador, maximizando o desempenho.

Batocera utiliza a versão autônoma mais recente do Duckstation, que funciona bem em sistemas x86_64 de menor desempenho.

Configurações do DuckStation

  • REWIND: Cria savestates em intervalos definidos para permitir retroceder. Exige mais RAM e VRAM dependendo da frequência e duração dos intervalos.
  • GRAPHICS API: Permite escolher a biblioteca de API gráfica a ser usada, sendo Vulkan a melhor opção quando suportada.
  • CPU EXECUTION MODE: O modo Intérprete é o mais preciso, mas o mais lento, enquanto o Recompilador oferece a execução mais rápida.
  • THREADED PRESENTATION: Melhora o desempenho quando o VSync está desativado e usando Vulkan, apresentando quadros em uma thread de fundo.
  • VSYNC: Ativa o VSync para evitar rasgos na tela, introduzindo um atraso mínimo de entrada.
  • FRAMESKIP: Pula quadros para melhorar o desempenho, mas pode causar movimento irregular.
  • SHOW BIOS BOOTLOGO: Pula a animação de boot da BIOS. Alguns jogos requerem a animação para funcionar corretamente.
  • RENDERING RESOLUTION: Multiplica a resolução de renderização interna, melhorando a clareza dos objetos 3D, mas com um alto custo de desempenho.
  • ANTI-ALIASING (MSAA/SSAA): Aplica MSAA ou SSAA para suavizar as bordas serrilhadas em polígonos de objetos 3D.
  • TEXTURE FILTERING: Aplica filtragem de textura em todas as texturas, com custo mínimo de desempenho.
  • CROP MODE: Aproxima a exibição para ocultar bordas pretas.
  • WIDESCREEN HACK: Hack de tela larga, muito instável. Funciona apenas ao usar um modo de vídeo 16:9.
  • CONSOLE REGION: Altera a região do console emulado. A região de bloqueio é desativada.
  • FORCE NTSC TIMINGS ON PAL: Força jogos PAL de 50Hz a rodarem a 60Hz. Pode apresentar problemas na maioria dos jogos PAL.
  • CUSTOM TEXTURES: Usa o pacote de texturas personalizadas para o jogo, se disponível.
  • RUMBLE: Ativa o recurso de vibração em controladores suportados.
  • JOYSTICK TO DPAD: Ativa a função Joystick para D-pad, útil para jogos que suportam apenas o controlador digital.
  • MULTITAP: Habilita o multitap para portas especificadas, permitindo até quatro jogadores.

Tipos de Controles

O PlayStation tinha diversos tipos de controles ao longo de sua vida, desde o controlador digital inicial, que tinha apenas um D-pad, botões de ação e botões de ombro, até o controlador analógico que adicionava dois joysticks ao centro, e finalmente o DualShock que adicionava vibração. A compatibilidade com o jogo precisa ser explicitamente suportada, e o controlador analógico e DualShock tinham um botão “Analógico” para alternar entre ser ele mesmo ou um controlador digital virtual para funcionar com jogos mais antigos.

Além dos controladores padrão, o PlayStation também tinha controladores alternativos como o tapete de dança (similar ao controlador digital) e o joystick analógico (similar ao controlador analógico). Outros controladores como o Namco GunCon, o neGcon ou o Mouse PlayStation usavam sua própria interface, exigindo que o jogo suportasse especificamente esse tipo de controle.

O PlayStation da Sony não apenas revolucionou a indústria de videogames com seu hardware inovador e uma biblioteca de jogos icônica, mas também estabeleceu um novo padrão para as gerações futuras de consoles. Desde seu lançamento nos anos 90, ele introduziu avanços tecnológicos significativos, como gráficos 3D avançados, capacidade de reprodução de vídeo em movimento e suporte a uma ampla variedade de mídias e formatos, que mudaram a forma como os jogos são experienciados.

Os periféricos e acessórios do PlayStation, como cartões de memória, controles analógicos e multitaps, junto com uma série de opções de personalização através de emuladores modernos como o DuckStation, mostram como a plataforma evoluiu para atender às necessidades de uma base de jogadores em crescimento e cada vez mais diversificada.

Com a introdução de novas tecnologias de emulação e configurações aprimoradas para jogos e gráficos, a herança do PlayStation continua a influenciar tanto desenvolvedores quanto jogadores ao redor do mundo, mantendo viva a paixão pelos clássicos que definiram uma era. O PlayStation não é apenas um marco na história dos videogames; é um testemunho do poder da inovação e da criatividade no entretenimento digital.

Lista de Jogos / Roms para PlayStation

Ao todo são 5 pacotes contendo “quase” todos os jogos de PlayStation e que estão nessa lista abaixo:

*Clique para expandir

Pack PlayStation Classic Japan

Arc the Lad II
Arc the Lad
Armored Core
BioHazard
Final Fantasy VII
G-Darius
Gradius Gaiden
Hajime no Ippo – The Fighting!
I.Q. Intelligent Qube
Jumping Flash! – Aloha Danshaku Funky Daisakusen no Maki
Metal Gear Solid
Mr. Driller
Parasite Eve
Persona 2 – Tsumi
Ridge Racer Type 4
SaGa Frontier
Super Puzzle Fighter II Turbo
Tekken 3
Wild ARMs
XI [sai] (Devil Dice)

Pack PlayStation Classic USA

Battle Arena Toshinden
Cool Boarders II
Destruction Derby
Final Fantasy VII
Grand Theft Auto
Intelligent Qube
Jumping Flash!
Metal Gear Solid
Mr. Driller
Oddworld – Abe’s Oddysee
Persona – Revelations Series
Rayman
Resident Evil – Director’s Cut
Ridge Racer
Super Puzzle Fighter II Turbo
Syphon Filter I
Tekken III
Tom Clancy’s Rainbow Six
Twisted Metal
Wild Arms

Pack PlayStation Jogos Originais

*Em breve

Pack PlayStation Legendados PT-BR

*Em breve

Pack PlayStation Dublados PT-BR

*Em breve

Pack PlayStation Classic Japan
Pack PlayStation Classic USA
Pack PlayStation Jogos Dublados PT-BR
Pack PlayStation Jogos Legendados PT-BR
Pack PlayStation Jogos Originais (em breve)

Todas informações adicionais como tamanho, senha, etc na página “espelho”.

Rafael Gouveia

Amante de videogames e fundador do RG Games, Rafael Gouveia tem 38 anos e traz o melhor conteúdo para quem ama jogos. Apesar de considerar o SNES o melhor console já lançado, Rafael é eclético e apaixonado por diversos jogos, como a franquia Resident Evil, Tomb Raider e Dino Crisis do PS1, além de simuladores como The Sims, Sim City e atualmente Cities Skylines. Com alguns canais no YouTube, Rafael é especialista em SEO, Wordpress e mídias sociais, e também atua como programador, analista, gerente de mídias sociais e é o principal redator do Media Manager. Além disso, ele é um apreciador de chopp gelado e solta a voz como cantor nos finais de semana. Rafael está sempre em busca de novidades e experiências para compartilhar com seus leitores e seguidores e é pai da pequena Maju!

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.